Ads Top

convite para visitar o site da Loja Fetiches

4 alternativas sustentáveis para substituir o absorvente íntimo

Muitas marcas, todos os dias, investem em produtos que prometem agredir menos o meio ambiente. Exemplo disso são as empresas fabricantes de absorventes íntimos, que mudaram radicalmente a linha de produção por questões sustentáveis, mas também para deixar as mulheres cada vez mais confortáveis durante o período menstrual. 

Outro aspecto importante é que alguns tipos de absorventes tradicionais podem causar reações alérgicas e irritações no canal vaginal e novas tecnologias, aliadas à saúde, são sempre bem-vindas. Por isso, foram criadas algumas alternativas sustentáveis para substituir o absorvente íntimo tradicional, como a calcinha absorvente, coletor menstrual, absorvente de pano e esponja menstrual. 

Para tirar todas as suas dúvidas sobre uso, lavagem e manutenção de alguns tipos de absorventes íntimos sustentáveis, conversamos com a Dra. Ana Carolina Lúcio Pereira, ginecologista, membro da Febrasgo (Federação Brasileira das Associações de Ginecologia e Obstetrícia) e especialista em Ginecologia Obstetrícia pela Associação Médica Brasileira.

Tipos de absorvente sustentável:

Calcinha absorvente: É uma peça de roupa íntima comum com algumas camadas de tecido antimicrobiano que conseguem bloquear odores da menstruação e absorvem o fluxo menstrual. Além de manter o pH da vagina equilibrado, permite que a região íntima respire de forma adequada e diminui o risco de infecções. É ideal para quem tem o ciclo irregulares. Para fluxo intenso, o indicado é escolher calcinhas com absorvente de maior captação.

Coletor menstrual: é um pequeno copo de silicone bem maleável feito para se ajustar no canal vaginal, tem o objetivo de reter o fluxo menstrual e evitar vazamentos. Como fica concentrado no copo, o sangue não tem contato com o ar e isso evita odores indesejáveis. Indicado para quem tem alergia a absorventes convencionais. É preciso retirar o coletor a cada seis horas e higienizá-lo com água e sabão neutro. 

prudence soft istock getty images doutíssima

Coletores menstruais vêm ganhando espaço entre o público feminino no Brasil. Foto: iStock

Absorvente de pano: um dos primeiros tipos de absorventes usados pelas mulheres, os absorventes de pano, feitos geralmente de algodão, apresentam alta absorção e permitem a respiração da pele. Seu principal benefício é que pode ser reutilizado e é bem mais confortável, já que não é feito de materiais sintéticos. Ele pode ser encaixado na calcinha e a lavagem é bem prática, já que é higienizado como uma peça de roupa íntima comum. 

Esponja menstrual: a única da lista que não é reutilizável e deve ser trocada após seis horas.  Feita de um material maleável com alta absorção, a esponja menstrual funciona como o absorvente tradicional, mas consegue se encaixar ao canal vaginal e evita vazamentos. É livre de compostos químicos e não causa alergias. Uma das vantagens é que pode ser usada durante as relações sexuais. 

Como escolher seu absorvente íntimo

A melhor forma de escolher absorventes para você é primeiro ter uma boa conversa com seu (sua) ginecologista para que você seja avaliada e também comece a entender seu comportamento, conhecimento do próprio corpo, alergias e sensibilidade aos diversos materiais, bem como desejo ecológico da mulher.

“Há diversas opções no mercado e entender o objetivo de cada uma ajudará na decisão segura. A forma mais certeira para as diversas opções é que a mulher possa escolher após ter experimentado – ou pelo menos entendido – como funciona cada um dos absorventes. Mulheres que não iniciaram a vida sexual terão mais limitações de alguns tipos de absorventes, visto que a anatomia pode contraindicar o uso dos internos como esponjas coletores”, explica Dra. Ana Carolina.

 Absorventes descartáveis x meio ambiente

Os absorventes descartáveis que são envoltos por polímero derivado do plástico, tem biodegradação morosa, por isso, são realmente menos ecológicos. O principal impacto ambiental desses produtos começa na extração e no processamento das matérias-primas, que se baseiam na produção dos plásticos (petróleo) e da celulose (árvores). 

Fibra de algodão contribui com 80% do impacto total da produção desses absorventes, pois o cultivo intensivo de algodão requer grandes quantidades de água, pesticidas e fertilizantes. Depois de utilizados, dispostos em lixões ou aterros sanitários, criam uma quantidade significativa de resíduos compostos por materiais sintéticos, que demoram em média 100 anos para se decomporem. 

Você sabia que existem inúmeros tipos de absorventes íntimos? Conheça

Coletor menstrual pode causar alergias?

Não é comum reações alérgicas ao produto utilizado  na fabricação de coletores, como o silicone. Porém, a ginecologista conta que alguns problemas, como alergias e infecções, podem estar relacionados ao uso de absorventes, principalmente em mulheres que têm a pele e a mucosa mais sensíveis às fragrâncias, corantes e materiais sintéticos, que estão na composição de alguns desses produtos. 

“Absorventes com camada de plástico, por exemplo, podem prejudicar a ventilação da área e favorecer, assim, o aparecimento de infecções. Mas também existem casos de mulheres que têm alergia a algodão”, detalha. 

Como lavar absorventes sustentáveis

Mais importante que lavar estes absorventes é que você entenda a necessidade de limpeza adequada das unhas e mãos, principalmente quando utilizados os absorventes internos, que necessitam manejo vaginal. “Muitas mulheres têm contaminação em suas unhas e provocam repetidas infecções genitais com o manejo”, ressalta a especialista. 

Para lavar o absorvente de pano retire o excesso de fluidos e você pode lavar na mão com sabão neutro ou lavar na máquina junto com as roupas e utilizar a quantidade de sabão recomendada pelo fabricante. Só não esqueça de enxaguar bem e, se possível, evite aditivos. 

Apenas a lavagem é o suficiente para desinfetar absorventes de pano, mas se desejar, você pode colocar umas gotinhas de óleo de melaleuca (tea tree oil), ou eucalipto. O sol também tem poder desinfetante natural. 

O coletor menstrual pode ser limpo com água fria ou morna e sabão neutro durante o fluxo menstrual e não requer desinfetantes ou produtos químicos. Porém, após findado o ciclo, é recomendado que seja fervido por pelo menos 5 minutos, deixar secar ao ar livre guardando em seguida em saquinho próprio para um novo uso. 

Você também pode usar uma escova de dentes exclusiva para este propósito. Nunca utilize produtos com cheiro ou químicos, pois estarão em contato direto com a vagina alterando a sua flora, o que gera maior risco de infecções.

Calcinhas absorventes duram, em média, 50 lavagens com toda funcionalidade antibacteriana (aproximadamente dois anos). Se for lavar à mão, deixe de molho por no máximo 30 minutos e, em seguida, é só lavar. Se for lavar na máquina, enxágue antes para remover o excesso de fluxo e depois coloque no saquinho de lavagem. escolha o modo de peças delicadas.

Absorventes externos, internos ou coletor menstrual: qual escolher?

Não use alvejante, amaciante ou qualquer produto que os contenham na composição: eles danificam a camada impermeável. Você pode lavar com sabão neutro, de coco ou líquido. Coloque para secar ao natural, pode ser no sol ou na sombra. nada de secadora e secador, ferro de passar roupa pois a camada impermeável pode ser seriamente danificada.

Você deve mergulhar sua esponja menstrual com água morna e apertar suavemente para remover o excesso de água antes de colocá-lo no lugar em sua vagina. A esponja deve ser removida tão frequentemente como um absorvente interno. Quando estiver cheia, ela pesa e cai naturalmente da vagina. 

Quando removê-la, ela deve ser lavada sempre com água fria, em seguida, lave com água e sabão e água quente antes de recolocá-la. No final do período, limpe sua esponja com água e sabão e desinfetar com água quente. Você ainda pode usar duas gotas de óleo essencial de melaleuca, deixar a esponja mergulhada por uma hora e secar ao ar livre.

 

O post 4 alternativas sustentáveis para substituir o absorvente íntimo apareceu primeiro em Fortíssima.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.