Ads Top

convite para visitar o site da Loja Fetiches

Após acusações de hipersexualização de crianças, diretora de “Lindinhas” se manifesta sobre polêmica e críticas ao filme: “Nós temos a mesma luta”

Em meio às polêmicas acusações de “hipersexualização” de crianças, a diretora do filme “Lindinhas” (Cuties), Maïmouna Doucouré, falou sobre as críticas ao longa nesta segunda-feira (14). Durante o painel “10 Talents to Watch”, da UniFrance, ela comentou a origem das queixas sobre a produção e disse estar do mesmo lado da luta do que os que a criticam.

Para ela, foi a divulgação promovida pela Netflix que levantou tanta polêmica entre o público. “A controvérsia começou com aquela arte”, disse Doucouré, referindo-se ao primeiro pôster do filme na plataforma. “O mais importante é assistir ao filme e entender que nós temos a mesma luta”, completou a cineasta, comentando sobre as acusações de que a produção teria retratado as crianças de forma inapropriada.

Apesar do sucesso na estreia no “Festival de Sundance” deste ano, “Lindinhas” causou polêmica entre o público. (Foto: Divulgação)

“Eu pensei que o filme seria aceito. Ele foi exibido em Sundance [Festival de Cinema] e foi assistido por norte-americanos. Eu me encontrei com o público e eles realmente viram que o filme era sobre uma questão universal”, assumiu ela. “Não é sobre a sociedade francesa – a hipersexualização de crianças acontece pelas redes sociais, e as redes sociais estão por todo mundo. Pessoas [em Sundance] concordaram com isso”, desabafou ela.

[anuncio]

Doucouré defendeu que sua intenção seria, justamente, alertar as pessoas sobre o perigo dessa questão. “Nós precisamos proteger nossas crianças. O que eu quero é abrir os olhos das pessoas para esse assunto e tentar corrigir isso”, disse ela, segundo a Variety. “É importante e necessário criar um debate e encontrar soluções como cineastas, políticas, e dentro do sistema educacional”, acrescentou.

Ameaças de morte pelo filme

A diretora francesa, Maïmouna Doucouré, revelou ao Deadline que até já recebeu ameaças de morte desde que “Lindinhas” foi divulgado pela Netflix. No entanto, num especial chamado “A história sobre Mignonnes”, ela explicou que a trama da produção é um retrato de sua vida. “Nossas garotas veem nas redes sociais que, quanto mais uma mulher é sexualizada nas redes, mais elas são bem-sucedidas… E sim, isso é perigoso”, disse ela.

Graças a “Lindinhas”, Maïmouna Doucouré recebeu o “Prêmio do Juri de direção” no Festival de Cinema de Sundance. (Foto: Getty)

[anuncio]

Vencedora do Prêmio do Júri de direção no Festival Sundance deste ano, a cineasta explicou como enxerga a trajetória da personagem de seu filme. “Amy acredita que ela pode encontrar liberdade naquele grupo de dançarinas e na hipersexualização delas. Mas isso é liberdade de verdade? Especialmente quando você é criança? É claro que não”, avaliou Doucouré. Assista ao vídeo aqui:

Netflix defende produção

Com tantas rejeições vindas do mundo todo, um porta-voz da Netflix se manifestou sobre o caso e defendeu o ponto de que “Lindinhas” pretendia realmente ser uma crítica social sobre esse assunto. “‘Lindinhas é uma crítica social sobre a sexualização de jovens crianças”, afirmou em um comunicado à Variety, em 11 de setembro.

Tanto a Netflix, quanto a cineasta de “Lindinhas”, defenderam o longa. (Foto: Reprodução/Netflix)

“É um filme premiado e uma história poderosa sobre a pressão que as jovens meninas enfrentam nas redes sociais e da sociedade, de modo geral, quando estão crescendo. Nós encorajamos qualquer um que se importe com esses assuntos importantes a assistir ao filme”, concluiu o texto da empresa.

[anuncio]

Boicote e críticas

Nos últimos dias, a hashtag #CancelNetflix (“Cancelem a Netflix”) esteve entre os assuntos mais comentados do Twitter. Nas publicações, muitas pessoas criticaram a disponibilização do filme na plataforma. “Lindinhas” conta a história de Amy, uma garota muçulmana de 11 anos que começa a descobrir novos hobbies e realidades quando entra para o grupo de dança da sua escola. As garotas da equipe vão contra os valores rigorosos da mãe da protagonista. Nesse contexto, algumas cenas foram taxadas por parte do público como “hipersexualizadas”.

Confira o trailer:

Até mesmo Tom Ellis – protagonista de “Lúcifer” – se “posicionou” nessa história. Sua esposa recebeu uma série críticas após sair em defesa do controverso filme nas redes sociais. Então, o ator distribuiu “blocks” a todos os usuários que a atacaram pelos comentários quanto a “Lindinhas”. Eita! Saiba mais detalhes desse caso e da polêmica acerca do filme, clicando aqui.

O post Após acusações de hipersexualização de crianças, diretora de “Lindinhas” se manifesta sobre polêmica e críticas ao filme: “Nós temos a mesma luta” apareceu primeiro em Hugo Gloss.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.