Ads Top

convite para visitar o site da Loja Fetiches

Cássia Kis relembra abuso médico e se diz arrependida de aborto: “Às vezes faço as contas de quantos anos esse filho teria”

Memórias difíceis… Prestes a estrear a série inédita “Desalma” na Globoplay, Cássia Kis concedeu um forte relato à revista Marie Claire, divulgado nesta terça-feira (29). Durante a conversa, a atriz recordou assédios dos quais já foi vítima, revelou o motivo de se arrepender de um aborto e explicou por que está “pronta para morrer”.

Ainda na infância, Cássia foi vítima de assédio ao ir num dentista. “Sofri assédio sexual quando tinha 11 anos. Venho de uma família muito pobre, em que não se ia ao médico, quiçá dentista. Mas minha mãe me levou ao dentista porque perdi um dente por cárie. Entrei sozinha no consultório e me lembro desse homem esfregar o pênis no meu braço. É assustador. Fiquei anos sem ir ao dentista, nem sabia que tinha um trauma”, lembrou ela, citando que ainda viveu algo assim duas vezes na vida adulta: “Uma delas foi nesta década, de outro jeito. E não consegui reagir. Vivi três episódios de assédio sexual com dentista”.

Cássia Kis em “Desalma”, nova série do Globoplay. (Foto: Globo/Estevam Avellar)

Um abuso psicológico também surgiu durante um relacionamento da atriz: “Sofri abuso psicológico, que é horrível. Viver um relacionamento no qual a pessoa vai minando sua moral, destruindo sua personalidade. Você perde referências de valores, não acredita mais em você, é quase levada à morte. O outro te mata sem usar arma. Demora para se recuperar, para você se amar. Se não fosse minha profissão, provavelmente não estivesse viva”, admitiu.

[anuncio]

Abuso médico

Questionada sobre pressões para fazer procedimentos estéticos, Cássia detalhou uma ocasião em que foi vítima de outro tipo de abuso por uma médica. “Já me falaram para fazer plástica, mas nunca me senti pressionada a ponto de querer fazer… Uma vez, fui a uma dermatologista e disse que queria uma pele mais fina. Ela então passou algo no meu rosto, achei que fosse um creme, mas era uma anestesia. Quando percebi, ela estava atrás de mim com uma agulha [para aplicar botox]. E aí foi um drama. Agora, me dou conta de que foi um assédio”, lamentou.

Cássia Kis lembrou que sofreu assédio por parte de dentistas, e foi vítima da má conduta de uma dermatologista. (Foto: Reprodução/Globoplay)

Aborto

Na entrevista, Cássia respondia sobre seu trabalho na novela “Barriga de Aluguel”, quando opinou: “O tema que mais me preocupa hoje é o aborto”. A artista confessou que se arrepende ter feito um aborto anos atrás. “Quando olho para trás, uma das coisas que teria corrigido seria um aborto que fiz em 1985. Por mais que eu tenha me inclinado diante desse problema, pedido perdão, lamentado, às vezes faço as contas e vejo quantos anos esse filho teria, se eu seria avó. Quando sei de um aborto, me dói. Sou a favor da vida em qualquer situação”, argumentou.

[anuncio]

“Pronta para morrer”

Kis afirma que refletiu muito sobre a finitude da vida com a série sobrenatural “Desalma”, e que agora tenta lidar bem com essa questão. “Com o confinamento, temos a oportunidade de refletir sobre a morte. Está claro, para mim, que tudo diante dos meus olhos tem finitude. Mas o que morre é nosso corpo, que fica cansado. No budismo você nasce, cresce, envelhece, adoece e morre. Isso aqui é uma passagem”, analisou.

Em “Desalma”, Cássia Kis interpreta uma bruxa em meio à trama que discute vida e morte. (Foto: Globo/Estevam Avellar)

Por conta disso, Cássia se disse pronta para uma morte imprevista – temendo a pandemia do coronavírus. Contudo, ela sente que ainda não é hora de partir. “Estou enfiada em casa, sem empregada, e cuido de tudo. Podo até árvore. Nunca fui tão mãe. Estou focada e alimentando minha espiritualidade. Mais do que nunca, preciso me preparar para uma passagem, para a morte, não é? Se eu for contaminada, posso morrer e quero estar pronta. E posso te dizer que estou pronta para morrer. Mas não queria que fosse agora, porque meu filho mais novo ainda tem 16 anos, e estou vivendo um momento esplêndido com eles”, declarou.

[anuncio]

Segundo a estrela – que perdeu a mãe há pouco tempo –, a nova produção da Globoplay traz justamente essas questões para a discussão. “A série é uma oportunidade para debater vida e morte. Perdi minha mãe há três semanas. É difícil perder uma mãe, não tem ensaio para isso. Todos nós só existimos porque temos uma mãe”, continuou. “Desalma” estreia na plataforma de streaming em 22 de outubro.

Governo Bolsonaro

Cássia também não poupou críticas ao presidente Jair Bolsonaro e a seu governo. “Subestimamos o fato de que ele pudesse chegar à presidência. E ele chegou”, disse ela. “Eu sabia que o homem sendo eleito era um ignorante, sem relação com a cultura. Ele não é um homem bom, um homem bom não exclui. Ele exclui mulheres, indígenas, desvalidos, negros, jornalistas”, avaliou Kis.

“Ele morava aqui perto quando foi eleito. Eu encomendei um buquê especial de flores, fiz uma carta falando que me colocava ao lado de um grupo de artistas para falar de arte e cultura, e mandei para ele. Não sei se ele recebeu”, acrescentou ela, que já havia declarado que não votou no presidente.

[anuncio]

Quanto à colega de profissão Regina Duarte, Kis também demonstrou sua frustração sobre o período em que Duarte assumiu a Secretaria da Cultura. “A Regina eu torci para que desse certo. Ela ficou tão pouco tempo que não conseguiu… Espero que ela esteja sendo bem acolhida. Não tenho direito de julgar. Não conheço a vida pessoal dela. Não quero fazer parte do grupo de pessoas que fala ‘você fez algo ruim, e eu excluo você’. Nós mudamos a cada dia”, completou.

Cássia Kis teceu duras críticas ao governo de Jair Bolsonaro e lamentou a passagem de Regina Duarte pela política. (Foto: Reprodução)

Sexualidade na terceira idade

A estrela também assumiu não se preocupar mais como sexo: “Quero estar em dia com outra coisa. Meu corpo tá descendo a ladeira. Estou envelhecendo e gostando de ver. Sou uma mulher com 450 mil rugas. Não tenho concorrente. Minhas referências como atriz são, no Brasil, madame Fernanda [Montenegro], e as inglesas Judi Dench e Maggie Smith, porque elas estão preocupadas com a consciência, com as relações, com a qualidade do trabalho. Não tenho a menor necessidade de aparecer nua na frente de homem”.

[anuncio]

Kis declarou ainda que não está em um relacionamento justamente para não se aborrecer com a questão das relações sexuais. “Me masturbo com menos frequência do que há 30 anos, hoje uma vez a cada três meses. Às vezes você está num relacionamento, não tem vontade de transar, e quando vê está abrindo as pernas para o seu macho. Isso já é violento. Essa é uma das razões que fazem com que eu esteja sozinha”, acrescentou.

“Não estou mais a fim de transar, não quero. É maravilhoso esse lugar de falar não. Não preciso ter dor de cabeça'”, afirmou ela. No entanto, isso não significa que Cássia não tenha mais nenhum desejo sexual. “Tenho desejo? Se vejo uma cena sensual, me dá tesão, minha libido ainda existe. Mas só”, justificou.

Confira a entrevista na íntegra, clicando aqui.

O post Cássia Kis relembra abuso médico e se diz arrependida de aborto: “Às vezes faço as contas de quantos anos esse filho teria” apareceu primeiro em Hugo Gloss.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.