Ads Top

convite para visitar o site da Loja Fetiches

Jogador Álvaro González se manifesta após episódio de racismo contra Neymar, e brasileiro rebate: “Assume o que tu fala”

A volta de Neymar aos campos após se livrar do novo coronavírus não foi cheia de comemorações como os amantes de futebol esperavam. Durante o jogo do Paris Saint-Germain contra o Olympique de Marselha neste domingo (13), o atacante foi xingado de “macaco filho da p*ta” pelo rival espanhol Álvaro González e, mais tarde, acabou expulso após dar um “cascudo” nele em uma confusão.

Aos 36 minutos do primeiro tempo, o brasileiro reclamou dos insultos do adversário, sinalizando aos juízes que havia sofrido racismo. “Racismo não. Racismo aqui, não”, esbravejou o camisa 10 na lateral do campo, enquanto o árbitro Jérôme Brisard tentava apaziguar os ânimos.

De acordo com a “ESPN Brasil”, ao mesmo tempo, González cobrava ajuda do VAR por um suposto cuspe que havia levado de Di María. O argentino do PSG também chegou a falar sobre a declaração racista que havia escutado em um determinado momento. O VAR não acusou nada ao juiz e a partida prosseguiu, mas Neymar fez questão de sinalizar o racismo várias vezes.

Mais tarde, ao final do segundo tempo, houve uma confusão generalizada em campo. Neste momento, Neymar voltou a discutir com o rival espanhol e acabou dando um tapa na cabeça do zagueiro. A arbitragem viu a agressão e expulsou o brasileiro, que saiu da partida novamente acusando González de racismo. “Porque ele é racista”, foi possível ouvir o camisa 10 dizendo, antes de ir para o vestiário. Assista aos vídeos:

Após o encerramento da partida e diante da repercussão do caso nas redes, Álvaro compartilhou uma foto ao lado de seus colegas de equipe – muitos deles negros – e sugeriu que Neymar fosse um mau perdedor: “Não há lugar para racismo. Corrida limpa e com muitos colegas e amigos no dia a dia. Às vezes você tem que aprender a perder e ir para o campo. Incríveis 3 pontos hoje. Pra frente, Olympique de Marselha. Obrigado família”.

O brasileiro, em contrapartida, não demorou a rebater. “Você não é homem de assumir teu erro. Perder faz parte do esporte, agora insultar e trazer o racismo pra nossas vidas, não, eu não estou de acordo. EU NÃO TE RESPEITO! VOCÊ NÃO TEM CARÁTER! Assume o que tu fala, meu irmão… seja homem, ‘rapá’! RACISTA”, disparou Ney, em resposta.

Minutos antes, o jogador já havia usado as redes sociais para se pronunciar. Ele se mostrou revoltado com a situação e questionou qual seria a consequência para González. “Único arrependimento que tenho é por não ter dado na cara desse babaca”, esbravejou ele, inicialmente.

Na sequência, o jogador deu mais detalhes do caso. “VAR pegar a minha ‘agressão’ é mole… Agora eu quero ver pegar a imagem do racista me chamando de ‘MONO HIJO DE P*TA’ (macaco filha da p*ta)… isso eu quero ver! E aí? CARRETILHA você me pune, CASCUDO sou expulso. E eles? E aí?”, indagou.

Em seu Instagram, o atacante também fez questão de compartilhar publicações feitas por colegas que, com razão, o defenderam e apoiaram. Ludmilla, que por diversas vezes já foi vítima de ataques racistas na web, se revoltou com o episódio.

“Pra branquitude, não adianta se você é o melhor no que faz, se é bem sucedido. Ainda assim eles olham primeiro para a sua cor. Também não importa se a gente tem a pele mais clara ou mais escura… Eles sempre sabem quem nós somos. E como nos ferir! Ontem comigo, hoje com Neymar, fora todas as pessoas que sofrem isso na pele todos os dias, mas não tem visibilidade. Pessoas que morrem diariamente por causa do racismo. E eles vivem a vida deles de boa, enquanto a gente sofre. Até quando? Racismo é crime!”, disparou a cantora.

Luciano Huck também mostrou sua indignação diante do acontecimento. “Neymar é orgulho do Brasil. Um dos melhores do mundo. Um cara especial. Não tem racista nesse mundo que possa apagar seu talento, irmão. E nem o de ninguém. Racismo é crime! E a cada dia eu tento aprender um pouco mais sobre como ser um aliado na luta antirracista”, declarou o apresentador. O craque compartilhou ainda um post de um fã-clube, com os dizeres: “Diga não ao racismo”.

A irmã do astro, Rafaella Santos, que estava assistindo ao jogo, também se manifestou. “Vitórias e derrotas a gente aprendeu a lidar com o Juninho desde que ele é muito novinho, eu mais ainda porque sou mais nova que ele. Ele me ensinou que faz parte!”, iniciou a influencer. “Cresci assim, entre choros de derrotas e lágrimas das vitórias. Isso eu, mesmo ficando muito nervosa nos jogos, entendo que é o esporte”, resumiu ela.

“Aprendemos em todas as ocasiões, mas com racismo, não! Isso não existe consolo, não existe lágrima, existe revolta e desespero! Sentimento de frustração, de ver o que é feito e sem punição! Dia após dia, fatos como hoje que ocorreram com meu irmão, ocorrem na vida e no esporte e esses criminosos seguem aí, sem punição, rindo e debochando dos seus crimes. Racismo é crime! Racismo não! Até quando”, indignou-se Rafaella.

Rafaella não ficou calada diante ao racismo sofrido pelo irmão (Foto: Reprodução/Instagram)

O sentimento de revolta também cobriu as redes sociais. “AAH, MAS O NEYMAR NÃO SE CONSIDERA NEGRO… Mas a supremacia branca considera. O suficiente pra desumanizar e chamar ele de macaco. E que bom que ele reagiu. E branco não tem que dar opinião sobre a reação de uma pessoa que sofre racismo. Cês são a mola propulsora dessa merda”, desabafou a ativista Winnie Bueno.

“O cara chamou o Neymar de macaco. Ele deu um cascudo no cara. O VAR veio e expulsou o Neymar! Tinha que ter replay, reset, reiniciar nessa p*rra, para o Ney chegar de voadora nesse c*zão do c*ralho. FOGO NOS RACISTAS E SEUS DEFENSORES!”, pediu o empresário Raul Santiago. “A conduta dos árbitros, a conivência dos cartolas, as regras do jogo… Todo o sistema do futebol é moldado para transformar a vítima de racismo em agressor. A justa reação de Neymar só indigna gente branca acostumada a tratar legítima defesa contra racista como ‘revide'”, julgou o jornalista Breiller Pires.

“Eu não sei quem ele será amanhã. Tô ligado um pouco em quem ele foi ontem. Mas, hoje, sobretudo, na dor, ele é meu irmão e eu lamento muito. Os bilhões na conta não impediram a impunidade de um racista em ação observado por milhões. Firme, NEYMAR! A chapa é quente! Joga com nós!”, declarou o professor Jota Marques. “Por tudo que eu li do caso, salvo imagens que desmintam, Neymar está 100% certo. Estaria 105% se tivesse realmente dado na cara do babaca”, afirmou o jornalista Bruno Bonsanti.

Confira mais reações:

Neymar, estamos contigo!

O post Jogador Álvaro González se manifesta após episódio de racismo contra Neymar, e brasileiro rebate: “Assume o que tu fala” apareceu primeiro em Hugo Gloss.

Nenhum comentário:

Tecnologia do Blogger.